Entenda a relação entre as verrugas genitais e o vírus HPV, e saiba como se tratar

As verrugas genitais são o tipo mais comum de infecção sexual. Geralmente, elas são causadas por algum subtipo do Papilomavírus Humano, mais conhecido como HPV. Por sua vez, o vírus do HPV atinge cerca de 80% da população mundial sexualmente ativa.

O HPV é considerado uma DST – doença sexualmente transmissível – que pode ser transmitida através de qualquer tipo de contato sexual desprotegido, inclusive o sexo oral. Portanto, as verrugas genitais merecem uma atenção especial, pois são o primeiro sinal de infecção por HPV.

Elas afetam os órgãos genitais, em torno do ânus ou mesmo no canal anal e nas regiões próximas, como a virilha. As verrugas genitais não causam dor ou coceira, e podem ser pequenas ou grandes, da cor da pele, rosadas ou meio acastanhadas, rugosas ou ásperas ao toque, e com aspecto de couve-flor ou cristais de gelo.

As verrugas genitais, assim como o vírus HPV, são facilmente tratáveis, e ignorar seu surgimento pode trazer complicações ainda maiores como o desenvolvimento de câncer no pênis e uretra nos homens, e câncer do colo do útero para as mulheres.

Verrugas genitais: o primeiro sinal de HPV

Como falamos, as verrugas genitais são o primeiro sinal de que o indivíduo foi infectado com o vírus HPV. O período necessário para surgirem as primeiras manifestações do vírus é de 2 a 8 meses. Porém, o vírus nem sempre se manifesta nesse prazo, podendo ficar inativo por anos.

Dessa forma, é praticamente impossível determinar quando o indivíduo foi infectado.

verrugas genitais

No artigo de hoje vamos responder algumas dúvidas acerca do que são as verrugas genitais, sobre o vírus HPV, como é feito o tratamento e como você pode se prevenir.

Qual a diferença entre verrugas genitais e outros tipos de verrugas?

As verrugas genitais se assemelham com as verrugas de outras partes do corpo, e como elas, são assintomáticas. Ou seja, não causam dor, febre ou outros sintomas.

A única coisa que as diferencia é a região onde elas aparecem: as verrugas genitais, no caso dos homens, costumam se desenvolver no pênis e na região próxima ao ânus.

Qual a relação entre as verrugas genitais, o HPV e o câncer?

Existem mais de 45 tipos do papilomavírus humano. As verrugas genitais costumas ser causadas pelos tipos de “baixo risco”.

Apenas um pequeno número de tipos de HPV está relacionado ao desenvolvimento do câncer. E todos esses cânceres possuem tratamento e podem ser detectados através de exames de rotina simples.

Portanto, é importante manter as visitas médicas em dia.

A evolução do HPV é a mesma para homens e mulheres?

Tanto o homem quanto a mulher que estão infectados com o papilomavírus e não apesentam verrugas genitais, desconhecem sua condição. Ainda assim, o vírus é altamente transmissível.

No entanto, a evolução da doença, bem como o tratamento, é diferente para homens e mulheres. Isso se deve basicamente ao fato das diferenças anatômicas e hormonais existente entre os sexos.

Na mulher, o ambiente é mais favorável ao desenvolvimento da doença, o que pode ocasionar em complicações mais sérias como lesões que, se não tratadas, evoluem para o câncer.

É possível que homens que não tenham relações sexuais há anos possam vir a desenvolver verrugas genitais?

Sim. É possível que o vírus tenha permanecido em estado latente(adormecido). Nesse caso, uma diminuição da resistência do organismo pode acordar o vírus e fazer com que se manifeste.

Como diagnosticar as verrugas genitais?

Nem sempre é possível notar a diferença entre as verrugas genitais e outros tipos de lesão de pele. Dessa forma, sempre que houver suspeita e infecção é aconselhável procurar um médico.

Além de solicitar os exames necessários, o profissional vai avaliar a evolução da doença e indicar o tratamento adequado. O diagnóstico para as verrugas genitais é simples e realizado em uma única consulta. Já o diagnóstico de infecção pelo vírus HPV requer exames laboratoriais específicos.

É normal se sentir deprimido após receber um diagnóstico positivo de HPV?

Completamente. É normal que a pessoa se sinta envergonhada e que haja também uma diminuição da vontade de fazer sexo. Muitas pessoas também podem ficar com raiva dos parceiros, mesmo que não seja possível saber em que época, exatamente, ocorreu o contato com o vírus.

A atitude correta nesse caso é conversar com a parceira e pedir que ela também faça o exame a fim de descobrir se também está infectada. Depois, basta seguir a orientações de tratamento do médico e tudo ficará bem.

Como é o tratamento das verrugas genitais e do vírus HPV?

Não existem medicamentos via oral para tratamento de infecções por vírus. A maioria dos remédios contra qualquer tipo de vírus atua fortificando o sistema imunológico para o combate. No caso do vírus adormecido e que ainda não manifestou seus sintomas, também não há tratamento. Assim, o próprio organismo se encarrega de combater a infecção e eliminar o vírus.

verrugas genitais

Já para as manifestações do vírus como lesões cutâneas ou as verrugas genitais, o tratamento é feito através da eliminação do tecido afetado através de cauterização química ou cirúrgica. Esse tipo de tratamento não só ajuda a diminuir a quantidade do vírus, mas também estimula o sistema imunológico a produzir mais células capazes de combater a infecção.

É comum não responder ao tratamento de cauterização?

Cerca de 20% das pessoas não respondem ao tratamento através da cauterização química ou cirúrgica.

No procedimento, todas as verrugas genitais são destruídas, porém, elas podem voltar a crescer e esse ciclo de tratamento pode durar semanas, meses e até anos. Nesses casos, é necessário adicionar também um tratamento de imunoterapia.

O que é imunoterapia?

É um tratamento que ativa o sistema imunológico de forma a combater de maneira específica o vírus HPV. Hoje, existe no mercado um creme com substâncias imiquimodes que é aplicado diretamente no local das verrugas. As taxas de recorrência após a utilização do creme são baixíssimas.

Enquanto a cauterização destrói as verrugas genitais, o creme estimula a produção e substâncias do próprio sistema imunológico para combater o vírus.

Se as verrugas genitais não forem tratadas, podem evoluir para câncer?

O papilomavírus pertence a uma família com mais de 45 tipos diferentes de HPV. Quase todos os tipos de vírus já foram muito bem estudados e sabe-se que o grupo que causa lesões pré-cancerígenas ou cancerígenas (grupo de alto risco), não é o mesmo que causa as verrugas genitais.

Em 95% dos casos, as verrugas genitais são causadas por um grupo de baixo risco. Entretanto, ao notar o aparecimento delas, é imprescindível procurar um médico imediatamente. Além de ser feio e ter um aspecto desagradável, corre o risco de crescimento em extensão e tamanho das lesões, bem como transmitir o vírus à sua parceira.

O HPV é uma doença e como tal deve ser tratada. As verrugas genitais são o primeiro sinal visível de infecção e merecem cuidado e atenção.

Ficou alguma dúvida? Mande para nós através do e-mail [email protected]. Um abraço e até a próxima.

Davi Ribeiro

Davi Ribeiro começou a trilhar um longo caminho de autoconhecimento, buscando informações no Brasil e também no exterior, para entender melhor o seu problema. Com o passar do tempo, ele acabou adquirindo muito conhecimento e, assim, se tornou um especialista na área de sexualidade masculina.

Website: https://www.ejaculandocomcontrole.com/cursos-recomendados/