Você sabia que Sintomas do mal de Alzheimer ainda não são totalmente conhecidos pela população e médicos?

Os sintomas do mal de Alzheimer se tornam cada vez mais presentes na população mundial, mas ainda são bastante negligenciados.

Em muitos casos clínicos são até confundidos com sintomas de outras doenças e disfunções.

Ao contrário do que se imaginam, o Alzheimer não afeta apenas idosos e não é uma condição natural do envelhecimento.

Aliás, essa doença é capaz de atingir indivíduos mais novos, já houve casos com pessoas de 19 anos sofrendo desse mal.

Os números dos Sintomas do Mal de Alzheimer

Só nos Estados Unidos a doença atingiu 25% da população idosa em 2014, um aumento “escandaloso” comparado a 1999, onde a porcentagem era de 14%.

sintomas do mal de alzheimer

“Milhões de americanos e suas famílias se veem profundamente afetadas pelo mal de Alzheimer”, afirma a médica Anne Schuchat, diretora do CDC.

O número de mortes aumentou em 55% na última década, segundo estatísticas do Centro de Controle de Doenças americano.

Vários fatores poderiam explicar este aumento massivo da doença no escopo mundial.

Um número maior de médicos vem indicando o Alzheimer como causa de morte nos certificados de óbitos por falta de um diagnóstico mais eficaz.

Seja pelo envelhecimento da população, o aumento do número de pessoas que têm o diagnóstico em um momento inicial da doença.

Mas, um ponto interessante identificado pelo CDC foi que a maior parte dos casos de morte por doença de Alzheimer vieram de lugares específicos.

Inesperadamente, a doença acontece em casas de repouso ou em instituições que oferecem cuidados de longo prazo.

Embora essa tendência tenha diminuído desde que o estudo foi lançado (de 68% em 1999 a 54% em 2014).

“Com o avanço do Alzheimer na população de idade avançada, os cuidados domiciliares se tornam muito importantes”, ressaltaram os autores do estudo.

O que é a Doença de Alzheimer?

Essa é uma doença neurodegenerativa e é a mais frequente na população humana.

Isso quer dizer que essa doença afeta processos importantes de equilíbrio mental e motor, como a memória, a fala, a capacidade de se comunicar e expressar, a capacidade de planejamento e habilidades de interagir com o meio.

Ainda existe uma grande dificuldade em se tratar e entender a doença justamente porque, nem a população nem as instituições médicas possuem total esclarecimento sobre os sintomas do mal de Alzheimer, tudo que se pode garantir é que a doença de Alzheimer não é uma conseqüência exclusiva do envelhecimento.

Também não se pode garantir que ela é causada pelo endurecimento das artérias e das veias do cérebro, falta de oxigênio no cérebro, estresse, por trauma psicológico ou por depressão, retardo mental ou preguiça mental.

sintomas do mal de alzheimer

A doença de Alzheimer é um mal incurável que piora gradativamente, mas é possível aplicar medidas para atrasar seus efeitos ao cérebro.

De acordo com o site ABRAZ – Associação Brasileira de Alzheimer:

“Não se sabe por que a Doença de Alzheimer ocorre, mas são conhecidas algumas lesões cerebrais características dessa doença. As duas principais alterações que se apresentam são as placas senis decorrentes do depósito de proteína beta-amiloide, anormalmente produzida, e os emaranhados neurofibrilares, frutos da hiperfosforilação da proteína tau. Outra alteração observada é a redução do número das células nervosas (neurônios) e das ligações entre elas (sinapses), com redução progressiva do volume cerebral.”

Quais sintomas do mal de Alzheimer podemos identificar?

Os primeiros sintomas do mal de Alzheimer correspondem, basicamente, à perda de memória de fatos recentes.

Consequentemente, estes evoluem gradativamente até que a pessoa comece a ter as tarefas diárias afetadas.

Os sintomas da doença podem chegar a tal frequência e não consiga mais se cuidar por si só.

Somado a esse principal indício, podemos perceber a incidência do mal de Alzheimer observando o comportamento do indivíduo.

Fique atento a esses sinais do mal de Alzheimer

Estes são os sinais da doença de Alzheimer que provoca mudanças na rotina da pessoa:

  • Perda progressiva da memória, principalmente para eventos recentes;
  • Dificuldade de linguagem, tanto para compreender quanto para expressar-se (ex., dificuldade para encontrar palavras);
  • Dificuldade para realizar tarefas habituais;
  • Dificuldade de planejamento;
  • Desorientação no tempo e no espaço;
  • Dificuldade de raciocínio, juízo e crítica;
  • Em fases mais avançadas, dificuldade para lembrar-se de familiares e de amigos e para reconhecê-los;
  • Depressão;
  • Apatia;
  • Ansiedade;
  • Agitação, inquietação, às vezes, agressividade; muitas vezes com piora no final do dia;
  • Problemas de sono: troca o dia pela noite;
  • Delírios (pensamentos anormais, idéias de ciúme, perseguição, roubo, etc.);
  • Alucinações (alterações do pensamento e dos sentidos, como ver coisas que não existem);
  • Problemas motores, nas fases avançadas: dificuldade de locomoção, etc.;
  • Perda do controle das necessidades fisiológicas, nas fases avançadas;
  • Dificuldade para deglutição, nas fases avançadas.

Como prevenir a doença ou amenizar os Sintomas do Mal de Alzheimer

Muitos sintomas não ocorrem no início, mas surgem ao longo da evolução da doença.

Apesar de ser uma doença sem cura, é possível aplicar algumas práticas para amenizar seus efeitos e até prevenir sua presença, como:

  • Procurar realizar atividade mental regular e diversificada, como jogos de lógica;
  • Manter uma atividade física regular, que pode ser uma simples caminhada;
  • Aplicar uma boa alimentação na rotina;
  • Procurar dormir bem e o tempo necessário;
  • Reservar um tempo para o lazer;
  • Evitar maus hábitos, como o uso de cigarro e o consumo de bebida alcoólica;
  • Cuidados com a saúde física geral: tomar os medicamentos corretamente, ir ao médico regularmente.

Envelhecimento Saudável é tema do Congresso de Cérebro, Comportamento e Emoção

Para cuidar de uma pessoa que tenha Alzheimer é preciso fazer acompanhamento médico regular e a participação de outros profissionais de saúde.

Particularmente, aqueles que trabalham no campo da reabilitação, são de grande importância.

Esses profissionais oferecem uma melhor qualidade de vida dos indivíduos afetados pelo Alzheimer.

Portanto, profissionais da área de fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia e profissionais de enfermagem.

CLIQUE PARA VOTAR:
[Total: 1 Média: 5]

Davi Ribeiro

Davi Ribeiro começou a trilhar um longo caminho de autoconhecimento, buscando informações no Brasil e também no exterior, para entender melhor o seu problema. Com o passar do tempo, ele acabou adquirindo muito conhecimento e, assim, se tornou um especialista na área de sexualidade masculina.

Website: https://www.ejaculandocomcontrole.com/cursos-recomendados/